08 nov 2017

Tarifaço do governo Temer deixa preço do gás e da luz nas alturas, afetando principalmente os mais pobres

Postado por admin em Sem categoria Nenhum comentário

Desde o último domingo (5), o gás de cozinha (GLP) envasado pelas distribuidoras de botijões de até 13 kg está, em média, 4,5% mais caro. É o quinto reajuste consecutivo desde junho, acumulando um aumento de 54% no preço do produto.

Segundo a Petrobras, o ajuste foi feito principalmente em razão da alta das cotações do produto nos mercados internacionais, “influenciada pela conjuntura externa e pela proximidade do inverno no Hemisfério Norte, além da variação do câmbio”, informou em nota.

Com o reajuste, é possível encontrar um botijão de 13kg pelo absurdo preço de R$ 80 nas revendas. Um verdadeiro assalto!

A política da Petrobras para reajuste do gás de cozinha se assemelha à praticada em relação aos combustíveis. Pelas novas regras, a empresa pode estabelecer o aumento ou redução diária no preço dos combustíveis e do gás, levando em consideração, entre outros fatores, a oscilação do preço do produto no mercado internacional. A gasolina acumula alta de 23,92% desde julho.

Tarifaço atinge em cheio o trabalhador

O aumento de preços de tarifas administradas pelo governo, diretamente ou através das estatais, atinge em cheio o bolso do trabalhador. O “tarifaço” do governo Temer inclui também o aumento da energia elétrica.

A conta de luz ficou ainda mais cara a partir de novembro, com o reajuste da bandeira tarifária vermelha 2. A taxa sofreu um aumento de 43%, passando de R$ 3,50 para R$ 5 a cada 100 kWh consumidos.

Esses reajustes impostos pelo governo atingem em cheio os trabalhadores, principalmente a população mais pobre, que vê o custo de vida aumentar assustadoramente. O aumento do gás de cozinha, da energia e dos combustíveis tem várias consequências, por exemplo, deixando mais caros os alimentos e o transporte.

O fato é que Temer segue com uma política econômica para beneficiar e atender os interesses dos setores privados. A privatização de estatais como a Petrobras e a Eletrobras, que também estão nos planos do governo, tendem a piorar ainda mais essa situação e o aumento do custo de vida para o povo.

Fonte: Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região
Pesquisa e seleção de Marko Ajdaric

Deixe um comentário Nome, Email e mensagem são necessários